No comunismo; cochilou, morreu: mais uma vez, o camarada Kim Jong-un mostra eficiência revolucionária
Por Dr. Coxinha


Segundo notícias procedentes da Coréia do Sul, neste mês de abril teria sido executado na Coréia do Norte, com tiros de bateria antiaérea, o ministro da Defesa Hyon Yong-Chol. Ocorre que o ministro da Defesa não conseguiu se defender do sono e, segundo a acusação, teria dormido em uma cerimônia, na presença do ditador comunista Kim Jon-um, que considerou o cochilo do ministro Chol uma "falta de respeito". Os defensores de ditaduras comunistas podem levantar suspeitas sobre a imprensa da Coréia do Sul, mas esta não está contando nenhuma novidade. Desde os tempos da "ditadura revolucionária do proletariado" na extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, chefiada por Lênin e depois por Stálin , os comunistas são muito eficientes, rápidos e fulminantes no ofício da morte. Aqui no Brasil, alguns grupos políticos, muito achegados a ditaduras comunistas, têm mais uma ocasião para enaltecer a eficiência revolucionária do camarada Kim Jong-un, que não pode admitir desrespeitos nem cochilos na luta contra os imperialistas reacionários.
PORTAL 100 FRONTEIRAS
Copyright 2011/2015.
Todos os direitos reservados
João Pessoa-PB
Ideias Multimidia