O ÚLTIMO ENCONTRO COM RAFAELITO

Por Rui Galdino Filho
Advogado, desportista e comentarista

Rafaelito: bom filho, bom irmão, bom esposo, bom pai e bom avô, cidadão família, um homem de fé


Rui Galdino

09/11/2015


Foto Internet

O ÚLTIMO ENCONTRO COM RAFAELITO

Por Rui Galdino Filho ( advogado, desportista e comentarista )

 

Meus amigos, minhas amigas, meus caros leitores. Hoje vou falar de um assunto diferente, muito especial e fazer uma homenagem póstuma a um filho de Deus, que mesmo sem conviver com ele o dia a dia, sempre o admirei e o respeitei como cidadão, como empresário e como político. Além disso, ele era também, amigo dos amigos, bom filho, bom irmão, bom esposo, bom pai e bom avô. Era um cidadão família, um homem de fé e mesmo sendo uma pessoa bem de vida, bem sucedido financeiramente, era desprovido de orgulho e gostava de todos, principalmente das pessoas simples e humildes, pois, ele também era simples e humilde. 

Estou me referindo a Rafael Fernandes de Carvalho Júnior, carinhosamente chamado por todos, de RAFAELITO. Pois bem, este anjo de Deus, partiu para a eternidade na madrugada do último domingo, 01 de novembro de 2015, aos 57 anos de vida, vítima de uma embolia pulmonar. A morte de Rafaelito, pegou a todos de surpresa e causou grande comoção entre seus amigos, conhecidos, conterrâneos, correligionários e familiares. Pessoa alegre, acessível e grande líder político no município de Cruz do Espírito Santo – PB, Rafaelito, deixou um exemplo de cidadão de bem, de bom caráter, trabalhador e de muita fé em Deus, indubitavelmente, ficará na história e será sempre lembrado pelas gerações seguintes. 

Em 1992, fomos ferrenhos adversários político na campanha para prefeito no município de Cruz do Espírito Santo - PB. Rafaelito nos venceu, e foi eleito prefeito pela 1ª vez e aí iniciou a sua brilhante trajetória política. Apesar de adversários político, nunca fomos inimigos e sempre nos respeitamos. Com a vitória de Rafaelito para prefeito, resolvemos nos afastar ( eu e meu pai ) do município, pois, entendemos que Cruz do Espírito Santo – PB, não caberia duas lideranças dali em diante e que a liderança de Rafaelito, ao lado de sua querida mãe, Ignez Cunha, eram o suficiente para tocar os destinos daquele extraordinário município, do qual, temos um grande carinho e apreço pelo seu povo. 

Estávamos certos, pois, Rafaelito, foi eleito prefeito por três vezes ( 1992, 2004 e 2008 ) e ajudou a eleger mais três outros prefeitos ( 1996, 2000 e 2012 ) ou seja, de 1992 até a sua partida para a eternidade ( 2015 ), NUNCA perdeu uma eleição em Cruz do Espírito Santo. Oriundo de tradicional família política e um dos sócio do Engenho São Paulo, Rafaelito, era sem dúvida, um grande líder político e conhecido como pai dos pobres. Uma figura extraordinária e de muito sucesso na vida. Rafaelito, foi benção enquanto viveu e hoje é luz, na esperança da ressurreição. 

Na condição de colega, nunca marcamos nenhum encontro, porém, de vez em quando nos encontrávamos pelas estradas da vida. Várias vezes, nos encontramos na missa dos sábados, na matriz de Nossa Senhora de Nazaré, no bairro do Bessa, em nossa capital, porém, o nosso último encontro, foi por volta das 12h30, da sexta-feira, 30 de outubro de 2015, na NORDIFE ( materiais elétricos ). Eu estava com um carrinho de compras recheado de lâmpadas, reatores e fios, quando de repente, Rafaelito se aproxima e me pergunta se eu estava construindo. Apertamos as mãos e nos abraçamos. Eu disse que estava começando a construir. Rafaelito sempre alegre, perguntou por meu pai e eu disse que estava tudo bem obrigado. 

Também perguntei como ele estava e como estava sua saúde. E ele me disse que estava bem e se melhorasse estragava !  Em seguida, perguntei a Rafaelito, sobre Cruz do Espírito Santo. E ele disse: “ está sofrida e perguntou-me por que eu me afastei de lá ”. Eu respondi: “ Foi você que nos tirou de lá ”. RISOS. Em seguida disse: “ Rui, e por falar nisso, se você quiser, vamos depois conversar sobre Cruz do Espírito Santo”. E eu disse: “ É, quem sabe ... ”. E ele finalizou dizendo: “ pelo menos, temos algo em comum, a nossa independência e o amigo Trócolli Júnior ”. RISOS. Apertamos as mãos mais uma vez e um até breve. 

Como disse antes, este encontro e conversa com Rafaelito, foi na sexta-feira, 30 de outubro. No domingo pela manhã, 01/11/2015, recebi um telefonema de Irineu Cézar, colega de Cruz do Espírito Santo, noticiando o falecimento de Rafaelito e dizendo que seu sepultamento iria ser às 17h no município. Fiquei surpreso, estarrecido e triste com aquela notícia, confesso que a princípio não acreditei. Fui para a internet e a notícia já estava em alguns blogs e portais. Meu Deus, como pode isso ? Estive com Rafaelito um dia antes e ele estava alegre, com saúde e de bem com a vida!  

Na verdade, a morte continua sendo um grande mistério. E quando a morte é repentina, o abalo em nossos corações é muito grande ! É como diz o ditado popular: “ para morrer, basta está vivo ”. O fato é que Rafaelito partiu, e até parece que aquele nosso encontro casual na NORDIFE, foi uma despedida ! E foi a última imagem que fiquei do saudoso, Rafaelito. Depois de alguns anos, voltei a Cruz do Espírito Santo, para o enterro de Rafaelito. Era uma tarde de domingo ensolarado, véspera de dia de finados, cheguei na cidade por volta das 16 horas, o corpo de Rafaelito ainda não havia chegado de João Pessoa, o povo estava nas ruas e na Matriz do Divino Espírito Santo. Era uma multidão para prestar as últimas homenagens a Rafaelito. 

Adentrei à Matriz e fiquei alí também aguardando o corpo de Rafaelito. Quando o corpo chegou, era tanta gente dentro e fora da Igreja e maior ainda, era a emoção das pessoas, não teve quem não chorasse ! Ignez Cunha, sua mãe, apesar de abalada também, e como sempre firme e forte, pedindo calma às pessoas e dizendo que o corpo só iria para a sepultura, depois que todos passassem pelo caixão para se despedir de Rafaelito, o seu filho querido. Querido por ela e por todos. Mais emoção ainda ! Confesso, que nunca vi tanta gente em Cruz do Espírito Santo, como naquele domingo, 01 de novembro de 2015, era gente de todas as classes sociais, ricos e pobres, todos foram se despedir de Rafaelito.  

Meus sentimentos à família de Rafaelito. Que Deus o tenha ...  AMÉM !

PORTAL 100 FRONTEIRAS
Copyright 2011/2015.
Todos os direitos reservados
João Pessoa-PB
Ideias Multimidia