Por isso, em 2018, teremos Cássio x Lígia...

Por Rui Galdino Filho
Advogado, desportista e comentarista

 

Por Rui Galdino Filho ( advogado, radialista, desportista e comentarista )


Meus amigos, minhas amigas, meus caros leitores. Já que a política é dinâmica e aqui em nosso estado se faz política todo dia, o dia todo e durante todo o ano, vamos terminar 2015, especulando e fazendo uma previsão que sem dúvida, será pura adrenalina para a política atual e futura da Paraíba. Antes de mais nada, quero deixar bem claro que tenho minhas posições, nunca fiquei em cima do muro e que também sempre respeitei e respeito às opiniões em contrário, ok!

Então vamos lá. Quero começar dizendo, que em 2018, teremos o desenrolar de tudo que aconteceu a partir de 2010, com erros e acertos de todas as partes envolvidas no processo político paraibano, tanto para os vencedores, quanto para os perdedores. A união política que elegeu Ricardo, governador, e Cássio, senador, em 2010, se tivesse prevalecido, ambos ainda estavam juntos, a eleição de 2014 teria sido bem diferente, Ricardo teria se reelegido com mais facilidade, Lígia Feliciano, não era a atual vice-governadora, pois, o vice seria do PSDB, e Cássio, seria o sucessor natural de Ricardo, em 2018, com vitória fácil, quase sem concorrente. Aliás, se Ricardo e Cássio, estivessem ainda juntos, iriam comandar a Paraíba por muito tempo, sempre se revezando no poder e no senado respectivamente, até um dia aparecer alguém para encerrar o tal ciclo.

Pessoalmente torci muito para que Ricardo e Cássio, continuassem juntos, até por que, votei nos dois em 2010. No entanto, o senador Cássio, querendo voltar ao Palácio da Redenção já em 2015, atropelou tudo, chutou o pau da barraca, rompeu com Ricardo, fez Rômulo Gouveia e outros, também romperem com o governador, e terminou sendo punido pela sua “teimosia de menino buchudo”, sendo derrotado por Ricardo, numa eleição bastante concorrida em 2014. A partir daí aconteceu um grande divisor de águas entre Ricardo e Cássio, surgiu a pessoa da vice-governadora eleita, Lígia Feliciano, até então, desconhecida a nível estadual, Ricardo, se união com o PMDB, de José Maranhão ( que foi eleito senador ), e com o PT, de Luciano Cartaxo ( prefeito de João Pessoa ). Ou seja, Ricardo Coutinho, foi o grande vencedor em 2014, sendo reeleito governador, e ao seu lado, estavam Maranhão, Veneziano, Damião ( marido de Lígia ) e o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, que juntos, ajudaram Ricardo, a derrotar, Cássio.

Quando digo que 2018, será o desaguar final de 2010, é por que na vida tudo tem o seu tempo e esse ciclo político conturbado será finalizado em 2018. Se Cássio, não tivesse rompido com Ricardo, tudo estava diferente, pois, o atual vice-governador não era Lígia, e sim, alguém indicado por Cássio no PSDB, talvez, Ruy Carneiro. Rômulo Gouveia seria senador e Cássio, o sucessor natural de Ricardo, em 2018. Porém, a história foi bem diferente e aí surgiu a pessoa da vice-governadora, LÍGIA FELICIANO. Antes de falar em LÍGIA, vou fazer um parêntese e comentar o importante apoio do prefeito Luciano Cartaxo ( até então no PT ), ao governador Ricardo, principalmente, no 1º turno da eleição de 2014, apoio esse, fundamental e que provocou o 2º turno da eleição, pois, Cássio, venceu no 1º turno, porém, com votação insuficiente para liquidar a fatura no 1º turno, perdendo no 2º turno para Ricardo, graças ao apoio decisivo do PMDB ( Maranhão e Veneziano ). Além do apoio da maioria do povo paraibano, é claro!

Em virtude da eleição de 2014, gostaria muito que o nosso governador Ricardo Coutinho, apoiasse o prefeito Luciano Cartaxo, na sua reeleição em 2016, e também, apoiasse Veneziano Vital, para prefeito de Campina Grande em 2016. Esse seria um caminho natural, porém, infelizmente, parece que com relação ao prefeito Cartaxo, isso não será mais possível e vejo esse fato com muita preocupação, mas, como sou uma pessoa otimista, ainda acredito numa reviravolta e no apoio de Ricardo a Cartaxo, no próximo ano. Com relação a Veneziano, se Adriano Galdino não atrapalhar o processo natural, tudo vai dar certo e o governador Ricardo, vai apoiar Veneziano, em 2016.

E Lígia Feliciano, onde fica nessa história toda ? Bom, tem um ditado que diz: “nada acontece por acaso, e o que tem de acontecer tem muita força”. Lígia, de repente surgiu do nada e na grave crise para se escolher o vice de Ricardo em 2014, onde ninguém queria, pois, não acreditavam na vitória de Ricardo frente a Cássio, e na prorrogação do 2º tempo, Lígia, representando a força das mulheres e a cidade de Campina Grande, foi convocada pelo governador na undécima hora, aceitou o desafio, entrou em campo e ao lado de seu esposo, o deputado federal Damião Feliciano, foram para a luta, acreditaram na vitória e ao lado do governador, foram vitoriosos. Como vice-governadora eleita, Lígia, tem tido um papel muito discreto, porém, antenada em tudo que acontece na Paraíba e fora dela com relação ao nosso estado. Além disso, tem sido muito fiel ao governador Ricardo e correta politicamente com o mesmo. Lígia Feliciano, é uma médica e empresária de muita competência, é uma mulher simples, humilde, honesta, trabalhadora e decente. Casada com o deputado federal Damião Feliciano, Lígia, é uma mãe e esposa muito dedicada à família e ao marido. Lígia, também é do PDT do saudoso Leonel Brizola, partido do qual ajudei a construir na Paraíba e voltei recentemente para os seus quadros.

Pela 1ª vez o PDT tem uma vice-governadora na Paraíba. Se o governador Ricardo, deixar o governo em 2018, para se candidatar a alguma coisa, Lígia, será a governadora da Paraíba em definitivo, e terá o direito natural à sua reeleição em 2018. Esse é o caminho natural e Lígia merece. Espero que o governador entenda tudo isso, e apoie Lígia Feliciano em 2018, pois, do outro lado, quem vem é CÁSSIO mais uma vez. Com todos os erros já cometidos, reconheço o prestígio do senador Cássio, e a sua força política na Paraíba. Quem quiser que se engane, mas, Cássio, é um fortíssimo candidato a governador em 2018. Por isso, acho que o melhor caminho para a Paraíba, é o governador apoiar Lígia em 2018, caso contrário, poderá tumultuar todo meio de campo. Na condição de pedetista histórico que sou, vou lutar e trabalhar para que Lígia Feliciano, seja a sucessora de Ricardo Coutinho. Por isso, em 2018, teremos um embate entre CÁSSIO x LÍGIA, e tudo isso, é uma consequência de um 2010 mal resolvido entre Cássio e Ricardo, e o aparecimento do nome de LÍGIA FELICIANO, a nossa futura governadora. Que assim seja...

FELIZ NATAL, PRÓSPERO ANO NOVO! 

PORTAL 100 FRONTEIRAS
Copyright 2011/2015.
Todos os direitos reservados
João Pessoa-PB
Ideias Multimidia