O silogismo de Chico Pinheiro e Leandro Karnal


Fabio Jacques
13/11/2017


 

Onde se está pretendendo chegar?

Fabio Jacques Opinião 

No Bom Dia Brasil da rede Globo, ao comentar o roubo de energia por condomínios de média ou alta renda, Chico Pinheiro encerra dizendo: “E estes mesmos que roubam energia, depois querem criticar os políticos”.

Este tipo de silogismo, aparentemente lançado pelo Leandro Karnal, apregoa que os desmandos e a corrupção que assolam o país se devem à cultura da sociedade e não à falta de caráter de quem o governa.

Se os crimes e a corrupção retratados nos impressionantes volumes de dinheiro desviados dos cofres públicos e por consequência da própria sociedade relegando-a à completa insegurança, ao amargor das filas dos ambulatórios sem atendimento e sem remédios e ao altíssimo nível de desemprego, são devidos aos desvios culturais do povo, todo crime está liberado.

O povo rouba e, portanto os políticos e empresários corruptos podem roubar. O povo mata e, portanto o assassinato deixa de ser crime para ser decorrência da cultura social. O povo estupra e, portanto o estupro de qualquer um deve ser anistiado.

Não há crime que não ocorra no seio da sociedade, não só do Brasil como de todo o mundo. Então o negócio é liberar geral. Os corruptos e ladrões passam a ser vítimas de uma sociedade corrupta e ladra e, portanto, não devem ser nem ao menos criticados.

Que raciocínio é este que abona o crime dos grandes porque os pequenos também os cometem? Pode um pai justificar o roubo de um banco porque seu filho roubou uma borracha de um colega na escola?

O povo está estrangulado por uma carga tributária da qual não pode se livrar porque é obrigado a comer e a consumir diversos produtos, alguns compulsórios como energia, água, esgoto, IPTU, IPVA e inúmeros outros cuja inadimplência o levará à fome ou ao corte dos serviços em muitos casos e em outros no corte de seu credito e até mesmo a execuções judiciais. Porque o povo não é, igualmente, beneficiário dos argumentos culturais? Se o povo não paga por que teria eu que pagar?

Para o cidadão comum este argumento não cola. Por que para os políticos e grandes empresários corruptos deveria valer?

O argumento da cultura justificando o crime está se arraigando na própria sociedade. O Karnal tentou justificar o crime dos corruptos porque algumas pessoas andavam pelo acostamento. Com este argumento, ampliado, consegue justificar todos os grandes crimes do mundo como perseguições políticas, assassinatos em massa, genocídios e muitos outros equivalentes.

É lamentável que muitas pessoas, de alto nível social e cultural caiam nesta esparrela e saiam por aí defendendo o crime sem ter a menor noção do que estão dizendo. E muita gente está se penitenciando por se sentir culpada pelos crimes dos corruptos e tiranos.

Aliás, este é o objetivo. Culpar a sociedade por tudo de ruim que acontece desde a corrupção até as variações climáticas, justificando assim a manutenção e o desenvolvimento da gigantesca máquina totalitária que punirá o povo por provocar a desgraça de si mesmo por ser o culpado por todos os crimes do mundo.




Fonte: polibiobraga.blogspot.com.br
Nenhum comentário! Faça o primeiro

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL 100 FRONTEIRAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL 100 FRONTEIRAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PORTAL 100 FRONTEIRAS
Copyright 2011/2015.
Todos os direitos reservados
João Pessoa-PB
Ideias Multimidia